Os alimentos e bebidas que atendem as exigências da Kashrut são conhecidos como Kasher. A Kashrut é um conjunto de normas e preceitos alimentares baseados na Tora (Livro sagrado do Judaísmo). Kasher significa “bom”, “apto” e “digno de confiança”. Existem exigências muito particulares da Kashrut em relação ao vinho e especialmente a quem maneja o vinho. De acordo com a Kashrut, o vinho não pode ser considerado Kasher caso houver alguma suspeita que ele tenha sido utilizado para a idolatria. O uso de vinho em práticas pagas é muito documentado e por esta razão existe uma preocupação excessiva de quem maneja o vinho. Apenas um judeu observante pode manusear o vinho enquanto ele pode ser usado para praticas idolátricas. Assim não há nenhuma dúvida de que ele não tenha sido usado por um idolatra. O vinho torna-se impróprio para a idolatria a partir do momento que que ele é fervido ou cozido. Não existe nenhuma evidencia de vinhos cozidos usados em práticas idolátricas. O vinho que foi cozido ou fervido é chamado de Mevushal. O vinho Mevushal pode ser manuseado por qualquer pessoa pois ele está improprio para a idolatria; Mesmo que um pagão manuseie o vinho, ele não pode utiliza-lo vinho para praticas idolátricas.